Tremores de terra são registrados em Paramoti e Chorozinho


O Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) registrou cinco tremores de terra na noite desta terça-feira (26) e na madrugada desta quarta-feira (27) com magnitude variando entre 1.0 graus e 1.6 graus na Escala Richter, nos municípios de Chorozinho, na Grande Fortaleza, em em Paramoti, nos Sertões de Canindé. 


Em Chorozinho, o primeiro abalo ocorreu às 22h50 desta terça-feira (26) de magnitude 1.6 e mais tarde, às 0h53, ocorreu o segundo de intensidade 1.5 graus e às 3h16 o terceiro evento inferior a 1.0 graus na escala Richter. 

Em Paramoti, distante 99km de Fortaleza, dois tremores de terra foram registrados na manhã de hoje. O primeiro foi de magnitude 1.5 às 5h27 e o segundo (1.4 graus) às 7h48.


“De acordo com informações de moradores da Fazenda Oiticica, várias pessoas escutaram um estrondo”, contou o chefe do LabSis da UFRN, sismólogo, Eduardo Menezes. “Desde o início do ano, que estamos registrando eventos de pequena intensidade em Paramoti e o último havia sido no dia 10 passado, verificado às 8h19 de magnitude calculada em 1.9 graus”. 


O LabSis repassou as informações referentes aos tremores de terra a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil para monitoramento e orientação aos moradores. Ainda de acordo com a unidade, moradores de Chorozinho não relataram ter “sentido ou escutado os eventos recentes”.


Já com relação a Paramoti, Eduardo Menezes disse que “a atividade foi pequena, mas ocorre em uma área nova e estamos vendo a possibilidade de instalar uma estação de monitoramento na região”.  

Registros anteriores

Um tremor de terra foi registrado na noite de 7 de julho de 2020, no limite entre os municípios de Chorozinho e Cascavel, na Região Metropolitana de Fortaleza. De acordo com o Laboratório Sismológico, que monitora esses fenômenos, o abalo sísmico foi de magnitude 2.5.


Eduardo Menezes lembrou que em 2014, outro tremor de magnitude 2.5 também ocorreu em Chorozinho, segundo registro das estações sismográficas operadas pelo Laboratório Sismológico da UFRN. 


Há 40 anos, em 20 de novembro de 1980 ocorreu o maior terremoto registrado no Nordeste e Norte do Brasil, que teve epicentro em Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza. 


No início daquela madrugada, o chão tremeu no Ceará e foi sentido em vários municípios, em um raio de 600km. Em decorrência do fenômeno, 488 casas foram danificadas no epicentro do fenômeno registrado, na localidade de Brito, no município de Cascavel, fronteira como o município de Chorozinho. Ninguém morreu.


Há uma rede de monitoramento de abalos sísmicos no Nordeste, incluindo o Ceará, sob a gestão do LabSis da UFRN, que faz o acompanhamento de tremores de terra na região.


Com informações do Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários