Governo do Ceará pagará parcela do decimo terceiro( salario em julho

 primeira parte do salário extra dos servidores públicos estaduais deve sair no dia 10 de julho 
O Governo do Estado vai desembolsar, em julho, R$ 400 milhões para o pagamento da primeira parcela do 13º salário aos 130 mil servidores públicos estaduais ativos, inativos e pensionistas. A informação foi divulgada ontem, pela Secretaria da Fazenda (Sefaz), junto do calendário de pagamento dos servidores até o fim deste ano.
A segunda parcela do 13º deverá ser paga no dia 18 de dezembro, de acordo com o calendário. Ao todo, a folha de pagamento dos servidores estaduais soma R$ 750 milhões, segundo a Sefaz. A secretaria informou, ainda, que os descontos relativos ao 13º serão efetuados apenas no pagamento da segunda parcela, no fim do ano.
A escolha do dia 10 de julho para o pagamento da primeira parcela, segundo o secretário da Fazenda, Mauro Filho, é para atender à modernização do sistema da Folha de Pagamento, com a implantação da identidade funcional com biometria, que está sendo executada pela Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado (Seplag).
"Além de estarmos cumprindo com um compromisso histórico de antecipar o benefício aos nossos servidores, com o pagamento estaremos movimentando a economia cearense com a injeção desses recursos", comenta o secretário.
Contribuição no comércio
O montante a ser pago para os servidores, com o 13º deve incrementar o desempenho do comércio em julho, com a movimentação turística, segundo projeta o presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), Cid Alves. "As férias do meio do ano, por terem um período mais curto, a gente tem um movimento superior ao fim do ano, com mais turistas procurando o clima temperado. Agora, essa injeção vai ser muito boa e saudável para movimentar a economia do Estado", explica Alves.
O presidente do Sindilojas afirma, ainda, que espera que as esferas municipal e federal adotem a mesma medida, antecipando a primeira parcela do 13º, o que pode contribuir ainda mais para o aquecimento do comércio nesse período delicado da economia do País. "Essa movimentação gera emprego e receita tanto para nós quanto para os governos federal, estadual e municipal", complementa Alves.

Postar um comentário

0 Comentários