quinta-feira, 29 de junho de 2017

Médicos de Fortaleza desenvolvem pesquisa sobre chikungunya

A Sociedade Cearense de Homeopatia desenvolve pesquisa sobre a febre chikungunya em Fortaleza, compilando sintomas de pacientes, durante os meses de junho e julho. O projeto é coordenado pelos médicos especialistas em homeopatia Leila Albuquerque, José Tarcísio Diniz e Lina Tamassia. A ideia é descrever quais medicamentos homeopáticos podem ser utilizados no tratamento da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

Ao todo, são coletados sintomas de 30 pacientes voluntários, que em troca recebem uma consulta gratuita dos especialistas no ambulatório de homeopatia do Instituto Gaia. "Sempre no caso de uma epidemia pode ser feito o estudo do gene epidêmico para ver quais medicamentos serão úteis. Muita gente procura alternativas para os efeitos coletarias da chikungunya. Tanto que já fechamos a quantidade de pacientes necessários para o estudo, a procura foi grande”, explica a médica pediatra Leila Albuquerque.

A pesquisa conta ainda com a participação de duas dentistas, que investigam sintomas orais, conforme Leila. "A buscas por tratamentos não convencionais, pelas práticas chamadas integrativas, vem crescendo. Tem situações que você precisa de um tratamento assim. A homeopatia não vê só o corpo, mas a relação do corpo com o meio", frisa a especialista.



Fonte O Povo

0 comentários:

Postar um comentário