sábado, 17 de junho de 2017

Em Icó, Artesãos fazem peças inspiradas em Patrimônio Histórico


Em Icó, Artesãos fazem peças inspiradas em Patrimônio Histórico


Icó possui um vasto patrimônio arquitetônico colonial. O centro histórico no entorno do Largo do Théberge foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1998 ( Fotos: Honório Barbosa )

Icó. Os artesãos desta cidade do Centro-Sul do Ceará encontraram nos traços da arquitetura colonial, do século XVIII, nos desenhos das fachadas dos casarões e prédios históricos, a inspiração para a produção de peças e bordados na tipologia ponto rococó. A produção local vem ganhando destaque no Ceará e em outras praças. A coleção Patrimônio Arquitetônico sobressai-se pela beleza singela, gera trabalho e renda às famílias dedicadas ao artesanato.

Icó possui um vasto patrimônio arquitetônico colonial. O centro histórico no entorno do Largo do Théberge foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1998. Os prédios possuem, em suas fachadas, belíssimos desenhos e formas, que servem de modelo para a produção artesanal de variadas tipologias de produtos bordados em ponto rococó: desde guarnições de mesa, toalhas, redes, almofadas, aventais, até bolsas de couro.

Núcleos

A Associação dos Produtores de Artesanato, Gestores Culturais e Artistas de Icó (Aproarti) possui nove núcleos artísticos: arte plástica, música, dança, teatro, patrimônio, literatura, decoração, gastronomia e artesanato. O grupo de artesãos é o que permanece mais ativo, reúne mais de 60 pessoas e atualmente trabalha nove coleções.

A presidente da Aproarti, Maria Soares Cândido Freire, lembra que o grupo começou a se formar no ano de 2005 com apenas sete artesãos, que se sentavam em uma calçada, no Largo do Théberge, para se reunir e traçar diretrizes de organização do trabalho. A iniciativa foi do Valdir Bezerra, empreendedor social, que achou importante que fosse criada e organizada a Associação. "Era costureira de moda, fazia roupas e fui convidada a participar de uma feirinha", revelou Maria Cândido Freire.


Fonte Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário