segunda-feira, 1 de maio de 2017

Agentes penitenciários e Polícia Militar evitam rebelião na cadeia pública de Quixadá

Cerca de 20 detentos da cadeia pública de Quixadá foram contidos na noite deste último domingo (30),após darem início a uma rebelião. Os presidiários passaram a brigar entre eles provocando uma confusão, mas a equipe de agentes penitenciários, com o apoio de policiais militares agiu rapidamente controlando a situação, havia informado a direção da unidade penitenciária do Estado.

Segundo uma fonte da Polícia a briga era apenas um pretexto para iniciarem uma rebelião na cadeia onde estão recolhidos aproximadamente 300 detentos. Com a briga eles pretendiam incitar os outros presos a participarem, provocando uma confusão generalizada e facilitar uma fuga em massa, provavelmente a mando de algum membro de uma facção criminosa que se encontra preso na cadeia de Quixadá.

A reportagem do Diário do Nordeste tentou manter contato telefônico com o diretor da unidade penitenciária de Quixadá e com a Secretaria de Justiça do Estado (Sejus), todavia, até a publicação desta edição as ligações não haviam sido atendidas.

Na noite anterior, do sábado (29), pelo menos 44 detentos, membros da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) fugiram da Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor João Jucá Neto (CPPL) em Itaitinga.



Fonte Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário