quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

mulher é assassinada à bala em Iguatú


Um homicídio a bala foi registrado em Iguatu na tarde desta quinta-feira, 01, precisamente no Bairro Jardim Oásis, onde por volta das 14h20min. uma mulher foi assassinada com um tiro na cabeça, a vítima foi identificada por Maria Kessyla de Oliveira Rodrigues, 23, a mesma teve morte imediata.
O corpo da vítima foi conduzido para o IML de Iguatu, em entrevista ao site Iguatu.net, o Delegado Regional Weslley Alves afirmou que o caso está sendo investigado e inicialmente as acusações recaem para um homem que seria companheiro da vítima, “ estamos no local e aqui a situação é terrível, a vítima levou apenas um único tiro na cabeça e morreu no local, as informações de acusação recaem em um homem que está sendo procurado neste momento e que seria um companheiro da vítima, foi um crime passional”, disse.

Fonte iguatú net

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Falha elétrica total e sem combustível', disse piloto, segundo áudio divulgado na imprensa colombiana



Comunicação do piloto do voo da Chapecoense com o controle de voo colombiano foi gravada.


Avião acidentado que levava a Chapecoense à Colômbia (Foto: Luis Benavides/AP)
Uma gravação da comunicação do piloto do voo Lamia CP-2933 com a torre de controle pouco antes do acidente foi divulgada pela imprensa colombiana. (OUÇA no site da Blu Radio, da Colômbia)

Segundo a gravação, o piloto notificou a torre de controle do aeroporto de Rionegro de que teve uma falha elétrica total da aeronave.
"Senhorita, 2933 está em falha total, falha elétrica total e sem combustível", disse o piloto Miguel Quiroga.
No áudio divulgado inicialmente pela Radio W é possível ouvir Quiroga pedindo vetores (direção da pista) para a torre de controle para poder pousar.
A torre de controle avisa que o perdeu no radar e que notifique seu rumo. Quiroga chega a responder sua localização.
"Estamos a 10 mil pés. Vetores, senhorita, vetores na pista ", disse Quiroga, no que seria sua última comunicação, segundo o jornal "El Tiempo".
A gravação não foi divulgada por meios oficiais, mas obtida pela imprensa local colombiana.
Veja abaixo a transcrição do áudio fornecida pela Radio Blu da Colômbia:
Piloto: Senhorita, Lamia 933 está com falha total, falha elétrica total, sem combustível.
Torre de controle: Pista livre e esperando chuva (...) Lamia 933, bombeiros alertados.
Piloto: Vetores senhorita, vetores na pista.
Torre de controle: O sinal de radar foi perdido, não o tenho, notifique rumo agora.
Piloto: Estamos rumo 360, com rumo 360.
Torre de controle: Vire à esquerda 010 proceder ao localizador da borda Ríonegro, uma milha na frente da p Bora (...) no momento se encontra, correto, te confirmo pela esquerda com rumo 350.
Piloto: À esquerda 350 senhorita.
Torre de controle: Sim, correto, você está a 0,1 milha da borda Ríonegro.
Torre de controle: Não o tenho com altitude Lamia 933.
Piloto: 9 mil pés senhorita.
Piloto: Vetores, vetores.
Torre de controle: Você está a 8,2 milhas da pista.
Torre de controle: Que altitude tem agora?
Torre de controle: Lamia 933, posição?


Fonte *G1*

O senado aprovou a pec 55 em primeiro turno

Brasília. O plenário do Senado aprovou, em primeiro turno, o texto-base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, conhecida como PEC do teto dos gastos públicos. A proposta foi aprovada por 61 votos favoráveis e 14 contrários. A PEC impõe um teto máximo para os gastos públicos pelos próximos 20 anos equivalente ao valor gasto no ano anterior, corrigido pela inflação. O texto já foi aprovado na Câmara dos Deputados e deverá passar ainda por votação em segundo turno no Senado.

>>STF recebe áudios gravados por Calero com presidente

O cronograma previsto estabelece que os senadores farão nos próximos dias três sessões de discussão antes do segundo turno. A última votação está marcada para ocorrer no dia 13 de dezembro e, se a PEC for aprovada sem alterações, ela será promulgada no dia 15.

Do lado de fora, na Esplanada dos Ministérios, o clima era de tensão e de confronto entre policiais militares e manifestantes. Grupos atearam fogo em banheiros químicos e se reagruparam nos arredores da Biblioteca Nacional e do Museu da República, próximo da rodoviária, onde fizeram nova barricada.

Muitos buscaram se proteger nos ônibus que trouxeram as comitivas que participam dos protestos, enquanto outros se dispersaram em direção à Estação Rodoviária.

A Polícia Militar reforçou o contingente com integrantes do Batalhão de Choque e um helicóptero da corporação que sobrevoava o local.

Durante a manifestação, o Ministério da Educação (MEC) foi invadido e depredado por um grupo de 50 a 100 pessoas, segundo relatos da assessoria de imprensa do órgão. Em nota, o ministro da Educação, Mendonça Filho, condenou os fatos ocorridos. "Os servidores do ministério viveram um clima de terror. Isso é inaceitável. Como democrata que sou, entendo o direito de protesto, mas de forma civilizada, respeitando o direito de ir e ir. O que vimos hoje foram atos de violência e vandalismo contra os servidores públicos e contra o patrimônio".

Em nota, a União Nacional dos Estudantes (UNE), uma das entidades que convocaram o ato, criticou a reação da Polícia. "O que nos assusta e nos deixa perplexos é a Polícia Militar do governador Rollemberg jogar bombas de efeito moral, gás de pimenta, cavalaria e balas de borracha contra estudantes, alguns menores de idade, que protestam pacificamente".

'Vandalismo'

O porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola, disse que o presidente Michel Temer criticou o que classificou de "vandalismo, destruição e violência" e disse que "a intolerância não pode ser instrumento para pressionar os parlamentares".

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) confirmou voto favorável à PEC e disse que o País não tem outra alternativa. "Essa é uma PEC da moralização do gasto público, absolutamente inadiável, porque o governo afastado não apenas empenhou o futuro dos nossos filhos, mas também dos nossos netos de uma forma inconsequente", afirmou. Deputados da oposição criticaram a ação da PM.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Voo da Chapecoense levava jornalistas e comentaristas famosos




Deva Pascovicci e Mario Sérgio, da Fox, estavam no avião
O voo que levava a delegação da Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana, que sofreu acidente em Cerro Gordo, entre as cidades de La Union e La Ceja Del Tambo (a 40 km de Medellín), também levava 21 jornalistas brasileiros que cobririam a partida contra o Atlético Nacional (COL).

Entre os passageiros estavam profissionais do FOX Sports, de rádios, da Globo, da RBS, e do site Globo Esporte. Entre os nomes mais conhecidos estavam o repórter Victorino Chermont, o narrador Deva Pascovicci e os comentaristas Paulo Julio Clement e Mário Sérgio, todos do canal FOX Sports.

A aeronave tinha a bordo 72 passageiros e nove tripulantes.

O dia é de tristeza e luto na imprensa brasileira em geral. Muitos dos jornalistas que estavam no avião haviam passado por grandes veículos de comunicação, era conhecidos por muitos colegas.

Ao ver a lista, reconheci vários nomes e me lembrei de gente que sempre admirei muito, ótimos profissionais e excelentes colegas de redação como Victorino Chermont.

Segue abaixo a lista dos jornalistas que tinham lugar reservado no voo (não quer dizer que todos estavam presentes):

Victorino Chermont (Fox Sports)

Rodrigo Gonçalves (Fox)

Devair Paschoalon conhecido como Deva Pascovicci ( narrador da Fox)

Lilacio Júnior (Fox)

Paulo Clement (Fox Sports)

Mario Sergio Paiva (Fox Sports e ex-jogador)

Guilherme Marques (Globo)

Ari Júnior (Globo)

Guilherme Laars (Globo)

Giovane Klein (RBS- afiliada da Globo)

Bruno Silva (RBS)

Djalma Neto (RBS)

André Podiacki (RBS)

Laion Espindula (Globo Esporte)

Rafael Henzel

Renan Agnolin

Fernando Schardong

Edson Ebeliny

Gelson Galiotto

Douglas Dorneles

Jacir Biavatti

Fonte *R7*

Lucas Gomes ex jogador do Icasa estar entre as 76 vítimas


AUTORIDADE FALA EM 75 MORTOS EM ACIDENTE COM O AVIÃO DA CHAPECOENSE





Do UOL, em São Paulo 29/11/2016 - 06h51
Autoridades colombianas falam em 75 mortos no acidente aéreo com a delegação da Chapecoense na madrugada desta terça-feira, na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia. A informação é do General José Acevedo Ossa, da polícia local, responsável pelo resgate. Não há confirmação sobre quem são as vítimas.

Segundo Ossa, somente seis pessoas sobreviveram à tragédia. Três deles são jogadores da Chapecoense: o lateral esquerdo Alan Ruschel, além dos goleiros Danilo e Follmann. As informações são de hospitais da região e de familiares dos jogadores.

O prefeito de La Ceja, município próximo ao local da tragédia, por sua vez, informou há pouco que o acidente deixou 25 mortos, com cinco sobreviventes confirmados após as primeiras horas de resgate.

"Há cinco pessoas resgatadas e 25 cadáveres identificados em uma zona de acesso muito difícil", afirmou Osorio.

No voo estavam 81 pessoas, incluindo 72 passageiros e nove tripulantes. No total, eram 48 membros da Chapecoense, incluindo 22 jogadores, 21 jornalistas e três convidados, além da tripulação.

O modelo do avião é o Avro Regional Jet 85, também conhecido como Jumbolino, de matrícula CP-2933, produzido pela British Aerospace. O avião tem lugar para 95 pessoas, mas segundo as autoridades colombianas, tinha 72 passageiros e 9 tripulantes no momento do acidente.
Alguns atletas da Chapecoense não viajaram com a delegação. A lista inclui os seguintes jogadores: Neném, Demerson, Marcelo Boeck, Andrei, Hyoran, Martinuccio, Nivaldo e Rafael Lima. Eles não vinham sendo utilizados pelo treinador Caio Júnior. Entre todo o time, o goleiro Nivaldo é o mais antigo  do elenco e está no grupo desde que a equipe estava na Série D.

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, também não estava no voo. Ele estava na lista como convidado do clube para a viagem à Colômbia. Mais dois integrantes da lista, Rodrigo Ernesto e Pablo Castro, também não estavam na aeronave. Ambos cuidam da logística do time, chegaram antes e estavam no aeroporto para o receptivo. 

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Achado de cadáver no sítio calado Orós

ORÓS: ACHADO DE CADÀVER EM RESIDÊNCIA (MORTE NATURAL)

Domingo dia 27/11/2016, por volta de 14h15min. A policia foi informada via 190,que na localidade sitio calado, casa sem número, pertencente a senhora Ozivânia Mangueira Gomes, brasileira, filha de José Mangueira de Souza e Maria Gomes Mangueira, natural de Iguatu, Nascida em 25/08/1969, casada, comerciante, residente no sitio calado, s/n, Orós, a mesma relatou que desde manhã não teria visto o senhor Zacarias Ferreira de Lavor,Casado, Natural de Icó-Ce, Pescador, 54 anos, residente no Sitio calado, S/N, Orós, tio do seu esposo.

Ao entrar na residência a senhora Ozivânia encontrou o mesmo caído emborcado ao chão, de imediato ela acionou a policia, quando a guarnição chegou ao local, constatou que realmente se tratava de um corpo, de pronto foi acionado o IML, que devido ao relato da proprietária da residência não poderia atender a ocorrência por ausência de vestígios de violência aparente no corpo, então foi acionado o SAMU, o atendimento foi realizado pela enfermeira Elioneide Diógenes, a mesma verificou que o corpo já se encontrava com sinais de rigidez, foi tirada fotos do local, e a guarneça-o ficou no local ate a chegada do atendimento funerário.

O senhor Zacarias residia sozinho e era caseiro da senhora Ozivânia Mangueira.

FONTE 10º BPM CE